terça-feira, 9 de março de 2010

Paulo Skaf, o socialista da FIESP



Dizem que em certa altura de sua tragetória política, Getúlio Vargas teria dito o seguinte sobre os empresários brasileiros:

"Eu quero ajudar esses empresários a ganhar mais dinheiro, mas eles não deixam..."

Esta frase fazia menção a grita dos industriais brasileiros após a promulgação da CLT, em 1943. O fato é que a burguesia brasileira jamais perdoou Vargas por ter concedido direitos aos trabalhadores, e o ódio das elites brancas nacionais acabaria por levar Vargas ao suicídio em 1954.
A grande trincheira dos plutocratas anti povo no Brasil sempre foi a FIESP, aqui se reúne a elite industrial paulista. Não precisa ser nenhum especialista em História para saber que os ricaços paulistas sempre estiveram de costas para os demais Estados brasileiros, desde os tempos dos barões do café. Aliás, também estão de costas para o restante de sua própria cidade e Estado, seus projetos dizem respeito apenas a seu grupo social reduzido. São Paulo é comanda por cerca de 50 famílias, que não se misturam aos demais cidadãos, formam uma casta, e vivem entrincheirados em condomínios de luxo e mansões que mais parecem bunkers.
O que me fez pensar nestas questões foi um comercial que está circulando aqui em São Paulo, em que Ciro Gomes apresenta o novo quadro do Partido Socialista Brasileiro, Paulo Skaf, presidente da FIESP e provável candidato ao governo paulista. O PSB já teve entre seus quadros pessoas como João Mangabeira, Sérgio Buarque de Holanda, Antonio Cândido, Joel Silveira, José Lins do rego, Rubem Braga. Hoje tem Gabriel Chalita, Paulo Skaf, Romário, Dinei.
Mas o que não me desce é o Ciro Gomes, inseparável amigo de Aécio Neves, apresentar Paulo Skaf como uma liderança popular, como uma alternativa progressista ao Palácio dos Bandeirantes.
A FIESP sempre jogou contra a classe trabalhadora brasileira, apoiou de forma efusiva o Golpe de 64, e por falar nisso, vários empresários ligados a FIESP faziam parte do complexo IPES-IBAD. Quem não se lembra do falecido Mário Amato, presidente desta Federação em 1989, o mesmo que disse que deixaria o Brasil se Lula vencesse Collor.
A FIESP sempre trabalhou contra o Brasil, e agora, um partido que se diz socialista, quer indicar o presidente desta entidade para concorrer ao governo de São Paulo. Já é um absurdo um tipo desses no PSB. Ou seja, a alternativa de esquerda dos paulistas nas eleições deste ano será Paulo Skaf, francamente.
Estamos perdidos (nós paulistas), não tem para onde correr, ou é Alckmin, ou Skaf, ou Soninha, ou...




5 comentários:

  1. Um modelo para o Brasil - http://modelobrasil.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. O SENAI tem sido bastante importante aqui em minha cidade, além de oferecer cursos em sua unidade também trabalha em parceria com algumas instituições localizadas na periferia das cidades circunvizinhas. Acredito que promover o ensino técnico profissionalizante e torná-lo acessível a todos é importante. Isso é socialismo.

    ResponderExcluir
  3. OhOhOhOh!!!! Cappacete,
    Acorda, estamos em 2010, século 21, olha pra frente cidadão.
    ACORDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Atualmente as escolas SESI tem exigido o alto desenvolvimento dos alunos no ENEM, mesmo não sendo da escola estadual tem participado, mas a minha escola que eu estudo não está tendo as condições mínimas, inclusive a colaboração da APM foi extinta por não haver condições para se manter, tirando isso tá tudo bem, o mais irritante é que o Paulo Scaf prometeu em um discurso antes da eleição que iria construir uma escola nova e até agora a escola nem sai do papel que foi ano passado e até hoje não teve nada a dizer.
    Eu esperava mais do Paulo Skaf, vamos ver se ele ta dizendo a verdade, espero uma resposta se possivel.
    Ass: William Machado Silva , do Centro Educacional SESI 430 -Parque Jaguaré

    ResponderExcluir
  5. Esse Paulo Skaf é um burguês que pouco se importa com a classe trabalhadora, é um penetra na esquerda. Muito bom seu comentário William, vamos desmascarar esse picareta.
    Abraço!

    ResponderExcluir